F7 Sistemas – Criar Sites , BH, Santa Luzia , MG

Filmes dos anos 90 que você precisa ver


Receba os artigos diretamente no seu email


06

A dez de 80 foi fantástica por muitos motivos (você não, lambada!) e por mais que aquele período tenha nos dados ótimos filmes, foram os lançados nos anos 90 que consolidaram o meu paladar pelo cinema. Isso porque conforme avançava pela mocidade eu passei a apreciar melhor os roteiros e a considerar longas que abordavam temas mais delicados, o que certamente me faz ter um carinho privativo pelos filmes lançados naquela era.

Filmes dos anos 90 - Pulp Fiction

Foi naquela dez que eu perdi totalmente o interesse por filmes de pancadaria, que eu passei a saber melhor alguns diretores, que percebi que drama não necessariamente era um gênero plano ou que aprendi a apaixonar filmes de faroeste — obrigado por isso, Clint Eastwood e o seu espetacular Os Imperdoáveis.

Também foi com os filmes dos anos 90 que entendi o fascínio que algumas pessoas têm por histórias da Segunda Guerra Mundial e quando entendi que escoltar roteiros que giravam em torno da violência e/ou de sociedades decadentes curiosamente poderiam servir porquê uma magnífico válvula de escape para a veras.

Enfim, se na lista sobre aquilo que foi produzido para o cinema na dez de 80 eu achei que tive muita dificuldade para chegar a somente 10 indicações, foi porque eu não tinha pensando muito no que havia sido lançado nos anos seguintes. Logo, depois de suportar bastante e certamente cometer algumas injustiças, cá estão alguns daqueles que considero entre os melhores filmes dos anos 90.

O Silêncio dos Inocentes

Filmes dos anos 90 - O Silêncio dos Inocentes

Fundamentado no livro homônimo de Thomas Harris, que por usa vez se inspirou no celerado mexicano Alfredo Ballí Treviño que o responsável havia publicado nos anos 60, O Silêncio dos Inocentes é uma lição de porquê entregar um roteiro impecável, de porquê fabricar um ótimo suspense e principalmente, de porquê um vilão pode ser ao mesmo tempo fascinante e incrivelmente terrificante.

Some a isso um Anthony Hopkins em uma das atuações mais impressionantes de todos os tempos e uma Jodie Foster, capaz de mesclar a instabilidade de uma policial novata com a resiliência de uma mulher disposta a vencer na curso, e temos uma das melhores duplas de todos os tempos.

Alguns anos depois eu pude ler o livro escrito por Harris e embora as diferenças físicas descritas para o Dr. Hannibal Lecter tenham completado com um pouco do magia que eu tinha pelo personagem no filme, ainda o considero uma das figuras mais aterrorizantes que apareceram na telona.

Menções Honrosas: Seven: Os Sete Crimes Capitais, Os Suspeitos.

Forrest Gump: O Contador de Histórias

Acho que todo mundo gosta de uma boa história e se tivermos que indicar alguém que sabe narrar várias delas, leste é o nosso querido Forrest Gump. Mostrando da puerícia do personagem até sua meia idade, o filme faz uma viagem pela história dos Estados Unidos, com destaque para várias cenas em que o sujeito foi incluído digitalmente em gravações reais.

Repleto de passagens memoráveis e embalado por uma das melhores trilhas sonoras de todos os tempos, Forrest Gump: O Contador de Histórias é o tipo de filme que consegue aprazer praticamente todos os tipos de pessoas e que por mais que o assistamos diversas vezes, sempre haverá qualquer pormenor a ser desvelado ou um momento que nos emocionará.

Menção Honrosa: Thelma & Louise.

Clube da Luta

Filmes dos anos 90 - Clube da Luta

Alguns filmes são muito bons, outros conseguem até ser considerados clássicos, mas poucos são capazes de entrar na cabeça do testemunha e nos fazer pensar na sociedade em que vivemos. O cintilante Clube da Luta é um desses raros casos.

Eu ainda lembro da primeira vez que assisti leste filme e do espanto que senti quando ele se encaminhava para a secção final. A revelação do que estava acontecendo me fez agir de uma maneira que nunca havia realizado, que foi rebobinar a fita VHS e ver o filme inteiro novamente. Ao fazer isso pude perceber muita coisa que não havia visto inicialmente, o que fez com que um filme fantástico se tornasse muito, mas muito melhor.

A minha única salvaguarda em relação a obra de David Fincher é em relação ao seu desfecho, a cena no prédio. Eu já não havia gostado dela quando vi o filme, mas quando li o livro de Chuck Palahniuk qualquer tempo depois, ela se tornou ainda pior e mais… pobre.

Menção Honrosa: Trainspotting: Sem Limites.

A Feitiçeira de Blair

Embora a teoria de fabricar um documentário falso não fosse inédita, o que os responsáveis pelo A Feitiçeira de Blair fizeram em 1999 foi alguma coisa digno de tirar o chapéu. Quando esse filme apareceu nos cinemas, chegou a possuir uma espécie de histerismo coletiva, com grandes multidões querendo presenciar os últimos momentos registrados pelos jovens Heather, Josh e Mike, que haviam perdido numa floresta perto de Burkittsville, Maryland.

É muito provável que a minha repulsa por spoilers venha deste filme, pois quando finalmente consegui assisti-lo, já sabia que a história vendida por ele não havia ocorrido realmente. Mesmo assim, a tensão e o terror que aquele longa conseguiu me passar foi um pouco impressionante e para alguém que sempre gostou de filmes de terror, eu não esperava que um dia um deles ainda poderia me surpreender.

A única coisa que lamento é o legado deixado por levante pseudodocumentário, já que ainda hoje parece que todo filme de terror precisa recorrer a uma câmera em primeira pessoa para tentar (quase sempre sem sucesso) nos assustar.

Menções Honrosas: O Sexto Sentido, Drácula de Bram Stoker, Audição.

Pulp Fiction: Tempo de Violência

Eu sou fã de Quentin Tarantino, paladar de quase todos os filmes feitos por ele, mas na minha opinião o diretor nunca conseguirá gerar alguma coisa tão espetacular quanto...

o Pulp Fiction: Tempo de Violência. Tudo naquela obra extremo a sublimidade: dos roteiros aos diálogos, da retrato a memorável trilha sonora, das atuações a montagem.

Sendo hoje indicado não só porquê um dos melhores filmes dos anos 90, mas porquê um ícone da cultura pop, na era em que o assisti pela primeira vez eu não tinha muita noção de no que o longa iria se tornar, mas mesmo sendo um fedelho que ainda estava descobrindo seu paladar cinematográfico, a certeza que tinha era de que eu havia adorado aquela história.

Menções Honrosas: Cães de Aluguel, Os Bons Companheiros, Assassinos por Natureza, O Poderoso Chefão III.

Fargo: Uma Comédia de Erros

Apesar do título pátrio poder passar a teoria de que Fargo é um filme engraçado e ele de vestimenta seja repleto de humor preto, não se deixe enganar. Com um roteiro genial e uma série de diálogos fantásticos, ele é um thriller policial muito interessante e que mostra todo o talento dos irmãos Joel e Ethan Coen.

Nele conhecemos a história de Jerry Lundegaard, um vendedor de carros que contrata dois marginais para sequestrarem sua esposa, para assim receber o numerário do seguro. O problema é que a dupla está longe de ser muito competente e logo uma série de assassinatos começa a sobrevir, fazendo com que uma dirigente de polícia pejada — e brilhantemente interpretada por Frances McDormand — tenha que se desdobrar para solucionar o caso.

Menções Honrosas: O Grande Lebowski, O Show de Truman, Mandinga do Tempo, Quero ser John Malkovich.

Matrix

Filmes dos anos 90 - Matrix

Misturando conceitos de diversas religiões, filosofia e tecnologia, no final dos anos 90 Matrix chegou aos cinemas porquê muito mais do que somente um dos melhores filmes da dez. Com efeitos especiais de última geração e cenas de ação de tirar o fôlego, não é de se estranhar que ele tenha feito tanto sucesso e até servido porquê referência para muita coisa produzida nos anos seguintes.

O filme foi tão impactante que não é difícil encontrarmos diretores porquê M. Night Shyamalan, James Cameron ou Darren Aronofsky o elogiando e por mais que a sua preço para indústria seja inegável, o simples indumento dele ter nos apresentada à bela Carrie-Anne Moss já deveria ser motivo mais do que suficiente para o adorarmos.

Menções Honrosas: O Exterminador do Horizonte 2: O Julgamento Final, Contato.

Um Sonho de Liberdade

Vários bons filmes foram feitos tendo a obra de Stephen King porquê base, mas na minha opinião nenhum conseguiu ser tão leal (e bom) quanto Um Sonho de Liberdade. Tirando um pequeno pormenor em relação a figura física de um dos personagens e que é irrelevante para a história, a adaptação consegue retratar exatamente tudo o que temos no narrativa Rita Hayworth e a salvação de Shawshank, que foi publicado no livro Quatro Estações.

Nele acompanhamos Andy Dufresne, um sujeito réprobo à prisão perpetua por ter matado a mulher e seu amante, e que na prisão cria um belo laço de amizade com outro detento.

Com ótimas atuações de Morgan Freeman e Tim Robbins, o filme foi adotado por muitos porquê um exemplo de perseverança e até o roble em que o protagonista deixa um bilhete virou um símbolo de esperança para algumas pessoas.

De negócio com o site IMDB, Um Sonho de Liberdade está no topo da lista dos melhores filmes já feitos e embora isso seja um tanto questionável, não acho excesso apontá-lo porquê um dos maiores clássicos dos anos 90.

Menções Honrosas: A Espera de um Milagre, Malcolm X, Filadélfia, Magnólia.

Jurassic Park: O Parque dos Dinossauros

Sendo o filme que apresentou as maravilhas da genética para muita gente e que conseguiu “dar vida” a dinossauros da maneira mais realista que já havíamos visto, O Parque dos Dinossauros foi um fenômeno tão grande que até quem nunca ligou muito para cinema ficou interessado em assisti-lo.

Tecnicamente impecável, o longa conseguiu engrandecer os efeitos especiais no cinema a outro patamar, o que lhe rendeu um Oscar nesta dimensão, além de outros para Mixagem de Som e Edição de Som. De indumento, o trabalho realizado pela Industrial Light & Magic foi tão impressionante que mesmo hoje, 27 anos depois do seu lançamento, os répteis gigantes do Jurassic Park não parecem terem sido feitos no computador.

Menções Honrosas: Toy Story, O Estranho Mundo de Jack.

Além da Risco Vermelha

Filmes dos anos 90 - Além da Linha vermelha

Esta é provavelmente a indicação que mais gerará reclamações e por mais que eu também adore os outros filmes que citei porquê menções honrosas aquém, sempre tive um carinho privativo pelo Além da Risca Vermelha e o considerei um tanto subestimado.

Para muitos esta obra de Terrence Malick é arrastada demais, filosófica demais e até mesmo chata, mas sempre defendi que poucos filmes retrataram os terrores da guerra de forma tão crua — e na falta de outra termo, formosa — porquê esse tocante longa metragem.

Lembro de certa vez ter ouvido alguém expressar que se existe um filme que parece uma trova visual leste é o Além da Risco Vermelha, e acredito que zero pode descrevê-lo melhor do que isso. Mais do que um ótimo filme dos anos 90, ele é uma verdadeira obra de arte.

Menções Honrosas: O Resgate do Soldado Ryan, A Lista de Schindler, A Vida é Bela.

Fonte

Tags , , , , , ,